Cafeína

Outros suplementos

Como é vendido

É encontrada em cápsulas, na forma líquida, pó ou em chás.

Indicação

A cafeína é a droga mais consumida no mundo e é encontrada em uma grande quantidade de alimentos, como chocolate, café, guaraná, cola, cacau e chá-mate. É possível encontrá-la também em alguns analgésicos e inibidores de apetite. Quando utilizada para propósitos terapêuticos, ela é administrada via oral ou por meio de injeções intramusculares ou intravenosas. Doses terapêuticas de cafeína estimulam o coração aumentando a sua capacidade de trabalho, produzindo também dilatação dos vasos periféricos.

Entre o grupo das xantinas (que incluem a teofilina e a teobromina) a cafeína é a que mais atua sobre o sistema nervoso central. Atua ainda sobre o metabolismo basal e aumenta a produção de suco gástrico. Devido ao estímulo no sistema nervoso central, esta droga proporciona alguns efeitos como aumento da atenção mental, aumento da concentração, melhoria do humor, diminuição da fadiga.

Uso para prática de atividade física

Suplementos de cafeína para atletas são destinado a aumentar a resistência aeróbia em exercícios físicos de longa duração. Os estudos sugerem que o uso da cafeína promove uma melhoria na eficiência metabólica dos sistemas energéticos durante o esforço contribuindo para um melhor desempenho físico.

Ela melhora o estado de alerta e o tempo de reação, é util principalmente em esportes onde o movimento rápido é necessário.

O suposto efeito diurético provocado pelo uso dessa substância, acarretando aumento no volume de urina e, portanto uma maior perda hídrica durante o esforço, não tem sido confirmado na prática. O comprometimento do estado de hidratação corporal parece estar relacionado somente ao emprego de mega-doses desta substância.

Como a tendência do organismo é se acostumar com a cafeína, diminuindo o seu efeito, o ideal é evitar o consumo contínuo desta substância, aproveitando ao máximo seus efeitos quando necessário.

Contraindicações e efeitos colaterais

Anvisa permite a suplementação de cafeína como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico e crianças, gestantes e idosos, consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista e ou médico. 

Altas doses de cafeína podem gerar alterações no ritmo cardíaco, causar insônia e irritabilidade e prejudicar a deposição de cálcio nos ossos. Deve ser lembrado que altas doses de cafeína podem ser consideradas dopantes e atletas de competição podem ser punidos por seu uso, explica o médico Jomar Souza, especialista em medicina do exercício e do esporte. 

 

Colaboração:
- Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
- Suzana Esper

Ceres Prado - Do UOL Ciência e Saúde

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos