Dieta dos Nutrientes

Thamires Andrade

Outras dietas
  • Thinkstock

    No cardápio da dieta dos nutrientes só são permitidos verduras, legumes, frutas e leguminosas

    No cardápio da dieta dos nutrientes só são permitidos verduras, legumes, frutas e leguminosas

O que propõe

A princípio a polêmica dieta dos nutrientes, proposta pelo médico norte-americano Joel Fuhrman no livro "Eat to live" (ed. Little Brown, sem edição no Brasil), parece um sonho realizado, pois ao contrário da grande maioria das dietas, não é preciso contar as calorias dos alimentos inseridos no cardápio. Fuhrman defende que não importa a quantidade dos alimentos ingeridos, mas sim a qualidade.

Portanto, esqueça os doces e fast-foods. No cardápio da dieta dos nutrientes só são permitidos verduras, legumes, frutas e leguminosas. Até mesmo os alimentos de origem animal, como leite, carnes e queijos estão proibidos, além de a quantidade de refeições diárias se limitar a três, sem lanchinhos intermediários.

O autor acredita que o emagrecimento é um resultado do que a pessoa come e não da quantidade de alimentos listados no cardápio. "Portanto ele indica alimentos 'certos' que promovem maior saciedade para que a pessoa não sinta fome e consiga perder peso", explica Antonio Pedro Tavares, nutricionista da NutriCore.

Fuhrman culpa os alimentos que chama de inflamatórios pela epidemia de obesidade mundial. "Ele considera nessa lista alimentos de origem animal, óleos e todas as fontes alimentares de carboidratos de alto índice glicêmico, que são rapidamente transformados em glicose no sangue, diminuindo a sensação de saciedade", destaca Tavares.

Como é feita

O cardápio da dieta dos nutrientes se limita a verduras, legumes, frutas e leguminosas, o que é visto com bons olhos pelos nutricionistas, pois esses alimentos são ricos em micronutrientes, como vitaminas e minerais, além de ter poucas calorias, ao contrário dos alimentos densamente energéticos, como os industrializados e ricos em gordura e açúcar.

Segundo Lenycia Neri, nutricionista da Nutri4Life, vários estudos comprovam que acrescentar verduras, legumes e frutas na dieta ajudam na prevenção de doenças crônicas, como as cardiovasculares, diabetes, diversos tipos de câncer e até mesmo a obesidade. No entanto, a grande maioria dos nutricionistas é contra retirar completamente do cardápio os alimentos de origem animal, como carnes, leite e queijos, como proposto na dieta. "A carne é rica em diversos nutrientes, como ferro e zinco, já o leite é a principal fonte de cálcio na dieta humana", explica ela que indica a substituição da carne por cortes magros e o do leite integral pelo  desnatado.

Fuhrman acredita que para perder peso não é necessário passar fome, mas sim comer a quantidade desejada dos alimentos permitidos. No entanto, a quantidade de refeições diárias é limitada a três, o que também não é considerado ideal pelos nutricionistas."Quanto mais fracionada a dieta, melhor é a absorção de nutrientes, além de gerar equilíbrio dos hormônios que são influenciados pela ingestão alimentar", explica Tavares.

Veja o cardápio elaborado por Tavares para seguir a dieta:

 

 

Como a dieta é considerada muito restritiva, o ideal é seguir o cardápio por no máximo 30 dias.

Promessa

Por ser uma dieta bastante restritiva, a média de perda de peso fica entre sete quilos no primeiro mês da dieta. E de três a quatro quilos nos meses posteriores.

Contraindicação

Na publicação Fuhrman afirma que a dieta pode ser feita por qualquer pessoa, pois os altos níveis de consumo dos alimentos propostos supriria qualquer possível deficiência nutricional. No entanto, Tavares alerta que qualquer dieta que restrinja grande quantidade de alimentos, como esta, consegue ser viável por muito tempo, especialmente sem qualquer tipo de suplementação, como o autor defende.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos