Dieta de Dukan

Outras dietas
  • Getty Images

O que propõe

A dieta de Dukan propõe um plano alimentar baseado nos alimentos que os antepassados da espécie humana utilizavam, aqueles utilizados pelos homens primitivos, os caçadores. O cardápio se baseia em proteínas e vegetais. São permitidos 100 alimentos, 72 de origem animal e 28 de origem vegetal. A dieta permite que você coma o quanto quiser desses itens selecionados e, mesmo assim, perca peso.

A dieta também preconiza a ingestão de farelo de aveia que, segundo seu criador, ajuda a aumentar a saciedade e reduzir a ingestão de alimentos. Outro efeito alegado é o maior gasto calórico - este gasto é modesto, mas pode ser significativo a longo prazo pela frequência com que a aveia é ingerida.

A 'fase de estabilização' promete ser um aliado contra o efeito-sanfona. Nesta fase, um dia da semana é dedicado à dieta mais restritiva, o que ajudaria a estabilizar o peso.

Como é feita

A dieta Dukan, criada pelo nutricionista francês Pierre Dukan há cerca de 10 anos, é uma versão moderna da dieta da proteína. O método consiste em quatro fases:

1ª fase – ataque: pode-se comer apenas as proteínas magras: clara de ovo, peito de peru, frango (sem pele), bife, peixe e iogurte desnatado, sem limite de quantidade. Os líquidos que podem ingeridos são água, café e chá sem açúcar e refrigerantes zero. Adoçantes artificiais também são permitidos. Além disso, é indicado o consumo de dois litros de líquidos e de uma colher meia de farelo de aveia por dia. Essa fase dura no máximo 10 dias. 

2ª fase – cruzeiro: esta é a fase de maior emagrecimento, e só acaba quando se atinge o peso ideal (que Dukan chama de peso verdadeiro). São introduzidos alguns legumes e verduras na alimentação. São excluídos itens ricos em carboidratos como cereais, grãos e tubérculos (milho, arroz, ervilhas e batata) até se alcançar o peso desejado.

 3ª fase – consolidação: esta fase serve para manter o peso conquistado. Repetindo o cardápio da fase anterior, com a introdução de uma fruta por dia e duas refeições livres por semana. Essa fase dura 10 dias a cada quilo de peso perdido. Por exemplo, se você perdeu quatro quilos, deve manter essa fase por 40 dias.

4ª fase – estabilização: nesta fase nada é proibido, desde que haja bom senso, e é necessário repetir a primeira fase uma vez por semana. É indicado, ainda, o consumo de um litro e meio de água (ou outros líquidos permitidos) e três colheres de farelo de aveia por dia, além de 20 ou 30 minutos de exercícios diários.

Promessa

Perder de peso rápida sem limitar quantidades, com baixo consumo de gorduras e carboidratos e sem efeito-sanfona.

Contraindicação

A nutricionista Ana Beatriz Barrella explica que a dieta, por ter redução no consumo de carboidratos e elevado consumo de proteínas, leva a uma elevada produção de corpos cetônicos. Além de serem responsáveis por um desagradável mau hálito, eles geram amônia que, em excesso, pode ser tóxico.

Além disso, a especialista explica que esta dieta pode provocar tontura, cansaço e prejudicar a memória. Isso acontece por que a principal fonte de energia do cérebro é o carboidrato. Sem ele, o cérebro é obrigado a utilizar proteínas e gorduras como fonte de energia, o que implica num processo mais lento e menos eficiente. Com esta manobra, o corpo quebra todo o seu ciclo bioquímico de degradação dos alimentos, provocando mal-estar e desânimo.

A nutricionista também alerta que uma das conseqüências negativas da rápida perda de peso provocada pela dieta das proteínas é o "efeito sanfona". Por ser uma dieta com rápida perda de peso, o corpo tende a recuperar toda a gordura depois que pessoa abandona o esquema. Além disso, o "efeito sanfona" traz um risco maior à saúde do que se manter sempre num peso estável. É uma agressão muito grande ao organismo.

A dieta também pode causar a perda de massa magra, pois quando se tira o carboidrato da dieta por um período prolongado, a atividade do pâncreas fica reduzida. Este é o órgão que produz a insulina, essencial para aproveitar a energia de alimentos como os carboidratos. Quando esse hormônio fica muito tempo no sangue, ele bloqueia a capacidade do corpo de queimar gorduras. Com isso, a perda de peso é ilusória: perde-se apenas líquido e massa magra, e preserva-se a gordura do corpo.

A falta do consumo de legumes, verduras e frutas poderá acarretar a deficiência de vitaminas e minerais, ocasionando outros prejuízos. Além disso, mesmo a gordura é necessária para absorção de algumas vitaminas. A perda de peso segura ocorre desde que haja uma redução das quantidades de alimentos ingeridos e correção de hábitos errôneos. Para tanto, a especialista recomenda uma reeducação alimentar acompanhada de aumento da atividade física, o que levará o indivíduo a perder gordura e não recuperá-la posteriormente.

"Dietas muito restritivas ou desbalanceadas não são indicadas, pois subestimam ou superestimam as quantidades de nutrientes, provocando carências e distúrbios nutricionais. Os carboidratos são extremamente importantes para a saúde, para a manutenção da massa muscular e bem-estar das pessoas. É claro que, se consumidos em excesso, podem impedir a perda de peso. No entanto, devemos ficar atentos à quantidade e tipo de carboidratos da dieta ao invés de bani-lo."

Eu fiz

Esta é a dieta que a Duquesa de Cambridge, Kate Middleton, e sua mãe fizeram para emagrecer para o casamento com o príncipe William. Outras celebridades que já aderiram a dieta de Dukan são a modelo Gisele Bünchen, a cantora Jennifer Lopez e a atriz Penélope Cruz.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos